Mini Cooper

Mini Cooper quem não gostava de ter um? 

O Mini é talvez o original compacto, graças a ele muitas outras marcas inspiraram-se para desenvolver os seus compactos. O mini foi talvez o automovel mais bem pensado de sempre, barato, economico e ainda assim com espaço de sobra para transportar 4 pessoas confortavelmente. 
O MINI é um automóvel único com linhas intemporais. O seu objectivo inicial não seria dar nas vistas, mas mesmo assim nunca passou despercebido.
Hoje em dia é uma lenda, que conquistou Hollywood e até os Beatles. Um carro que ficou mundialmente conhecido pela serie Mr. Bean e pelas suas campanhas ousadas e criativas da agência americana Crispin Porter + Bogusky.
Campanha criativa MINI

Ficou também conhecido pelo filme The Italian Job, com Mark Wahlberg, Charlize Theron, Edward Norton e Jason Statham em que possui 3 Mini Coopers, usados pelos protagonistas. Depois do filme, as vendas da MINI cresceram 26% em todo o mundo.

A Historia da MINI começou quando o engenheiro de origem turca, Alec Arnold Constantine Issigonis, da montadora britânica Morris, foi convocado, em virtude da grave crise do petróleo que assolou o mundo no final da década de 50, a desenvolver um carro pequeno, com no máximo três metros de comprimento, que transportasse quatro adultos com relativo conforto, barato e que consumisse pouquíssima gasolina.



Construído em tempo recorde estreia-se a 8 de maio de 1959 no mercado inglês, compacto (media apenas 3.05 metros de comprimento), leve (pesava apenas 620 kg), repleto de inovações como carroçaria monobloco, motor transversal, tracção dianteira, suspensão sem amortecedores e rodas de 10 polegadas, que se ia tornar um ícone da industria automóvel. 

O automóvel impressionava apenas aqueles que se deixavam impressionar, apesar do seu preço imbativel, estabilidade, consumo nem tudo foi um mar de rosas. Uma conta inesperada fez com que os primeiros lotes do fossem quase "oferecidos" causando perdas na BMC (British Motor Company). 
Muitas pessoas criticavam-no pelo seu aspecto piorando a situação.A direcção da empresa pensou mesmo em acabar com o projecto. O público estava dividido. Mas aqueles que o compravam, espalhavam as qualidades. A chegada dos “loucos” anos 60, foi a salvação, tornando-se um objecto de desejo de artistas de cinema, o filme original “The Italian Job” (1969), com Michael Caine e Margaret Blye veio melhorar as coisas. 
Os minis de "Italian Job" 1969

Um dos seus pontos fortes era a sua agilidade, ele era capaz de vencer as mais estreitas ruelas europeias, como se de uma moto se trata-se. 
Inicialmente criado para as massas, o pequeno Mini no início dos anos 60, alguns senhores trocavam os seus Rolls-Royce e Bentley pelo pequenote, inclusive a Rainha Elizabeth II tinha um Mini prateado, os Beatles faziam-se circular no carrinho pelas ruas da cidade com um sorriso na cara. 
Muitos diriam que seria incapaz de disputar provas de velocidade, mas foi uma questão de tempo até aparecer alguém disposto a fazer algumas modificações e colocá-lo à prova. 

O seu nome? John Cooper, filho de Charles Cooper, dono da Cooper Car Company, especializada em carros de corrida. Rapidamente um primeiro lote ficaria pronto pronto. Primeiro turbinou o motor, subindo a potência para 997 cilindrada. Também mudou o sistema de travagem e rebaixou o chassi de modo a que ganha-se ainda mais estabilidade. Foi o grande vencedor do Rali de Monte Carlo em 1964. A imprensa europeia falava sobre ele: “Um milagre sobre rodas”. O sucesso do modelo estrondoso, a velocidade nem era o seu forte, era a forma como "devorava" curvas, deixando carros com mais motor para trás.



John Cooper aproveitou para criar outro modelo ainda mais desportivo, com 1.071 cilindradas. Designado Mini Cooper S (de Sport), vendeu mais de 4 mil unidades em menos de um ano. Em 1970, os emblemas da Austin e da Morris desaparecem do novo modelo. 

Os carros  passaram a chamar-se simplesmente Mini. A globalização do modelo conheceria seu ápice em 1972, quando o Mini Cooper passou a ser fabricado pela fábrica Innocenti na Itália. Nascia assim o Innocenti Cooper, um mito de Milão à Sicília. Nesta época, o pequeno automóvel já ocupava a garagem de mais de 3 milhões de consumidores, sendo produzido sob licença na Austrália, Portugal e Itália, e também na África do Sul, Chile, Uruguai, Espanha, Venezuela e Iugoslávia.

No ano 2000 o pequeno automóvel saiu definitivamente de cena para dar lugar ao novo MINI, (com letras maiúsculas) pois agora pertencia á alemã BMW.
Uma equipe de júris composta por 100 especialistas da indústria automobilística elegeu o Mini o carro mais importante do século XX. Embora o antigo Mini fosse raramente visto nos Estados Unidos, na Europa ele é uma lenda. O carro que simbolizou a indústria automobilística inglesa por 40 anos chegava ao fim da linha. Sobre alçada da BMW foi reinventado como sucessor directo do clássico de 1959.

A nova geração foi apresentada no Salão Automóvel de Paris em 2000, era 60 centímetros mais longo e 30 cm mais largo que o modelo original. O novo MINI vinha com várias características novas. Tecnologia de ponta, modernos e eficientes padrões de segurança e qualidade, assim como a tradição dos valores da marca MINI; optimização do espaço interior aliado a um exterior de dimensões compactas. 
Foi produzido com os padrões de qualidade do Grupo BMW. A maior diferença para o Mini clássico era mesmo o preço. O carro agora valia o peso da sua história. 

Mini Cooper S


Em 2001, ano oficial do seu lançamento, foi lançado o modelo mais potente e desportivo, o MINI COOPER S, um carro com ar mais agressivo e um motor mais potente que a versão original. Três anos depois surgia o MINI COOPER CABRIO, que se tornou um sucesso em vendas. Em menos de uma década o novo MINI se tornou um verdadeiro sucesso. O segredo da marca foi reeditar o espírito do Mini Cooper original. 
 A partir de 2011, a marca voltou às corridas de rali, que junto com a equipe Prodrive (uma das maiores especialista em preparar carros offroad), participou de algumas etapas do WRC (Campeonato Mundial de Rali). O modelo escolhido para representar a marca no WRC foi MINI COUNTRYMAN. Além de vender o seu carro para outras equipas, a montadora planeia em breve correr com uma equipe oficial.

A nossa opinião:
O MINI é dos carros com mais status tem no mercado, no caso dos jovens ter um MINI é como possuir um BMW ou MERCEDES. Um estudo revelou que o MINI é o carro que mais atrai mulheres e sendo descapotável ainda melhor.
No entanto o MINI peca pelo seu preço, em Portugal é normal ver-se um MINI de 75cv diesel com 200.000 ainda a 10.000 euros.

Muita gente associa o MINI inteiramente á BMW, mas muitos MINIS tiveram motor TOYOTA D4D nomeadamente o 1.4 75cv cujo possuía um turbo de geometria fixa da toyota soldado ao colector de admissão, sim exactamente soldado, caso o precisa-se de mudar o turbo era uma trabalheira, mas no entanto este motor era extremamente fiável, mas uma simples reprogramação para 90cv resolvia o assunto. O MINI com motor Toyota saiu entre 2003 a 2006, com carroçaria  R50, com o motor de 75 cavalos ate fim de 2005, já em 2006 é o mesmo motor D4D mas com actualização de 88CV (Turbo de geometria variável e injectores de maior debito), que é utilizado nos Yaris e Auris. 
No final de 2006 a MINI actualizou, passando a chamar-se cod R56 e passou a usar os motores Diesel PSA.

Cooper S

Um autêntico kart que devora curvas, mas ao contrário do que se passava com o mini original que não andava este anda...bem e percebesse porque pequeno, baixo peso, baixo centro de gravidade, a agilidade não lhe falta.

 O poder de aceleração envergonha muitos desportivos com blocos superiores.Velocidade máxima de 238 km/h e um arranque dos 0 aos 100 km/h conseguido em apenas 6,5 segundos. Mas os números não contam para nada, se gosta de conduzir este é talvez o melhor carro dentro do segmento de pequenos desportivos que pode adquirir. Agora se quer impressionar o seu amigo como é andar em linha recta compre outro. Já sei que vai apontar como defeito a suspensão dura o que torna o carro desconfortável. Então se não gosta de curvar bem, não vale a pena adquirir este carro, a suspensão está afinada para uma condução desportiva, permitindo com que tenha bons momentos ao volante do Cooper S.

O motor de 4 cilindros gasolina de 1,6 litros turbo, com 184 cavalos e 240nm de binário logo às 1600rpm, permite a este endiabrado fazer ultrapassagens rápidamente que vai deixar muita gente de boca aberta. Seja em que rotação for, a entrega da potência é sempre imediata.

Qualidades:
- Fácil de conduzir, divertido, se está á beira de uma depreção compre este, e vai ver que o vai fazer sorrir.

- Imagem de marca bastante admirada e reconhecida

Pontos negativos
Quantidade e preço dos extras
O espaço nos bancos traseiros e bagageira.
Caso opte por um modelo a diesel opte por o de 110cv que concegue consumir menos que o de 90 por exemplo.

E avarias?
Um dos maiores problemas nomeadamente no cooper S é que por vezes já levaram muita coça, sendo um carro que é associado a street racer's. 
- Os primeiros equipados com compressor deram alguns problemas e nomeadamente bebiam bem que a geração seguinte.
- Problema na bomba de água "afeta os modelos Cooper S, Countryman e John Cooper Works produzidos entre março de 2006 e janeiro de 2011" (apenas algumas unidades foram chamadas para recall)
-


6 comentários:

  1. Grande lenda esta do MINI, já sabia que se tratava de uma marca com historia, mas agora que li isto, fiquei de mãos rendidas ao pequeno... O que me levantou mais suspenso foi saber que este pequeno rato ganhou o rali de Monte Carlo!!!

    ResponderEliminar
  2. Luis Ramos
    O Mini impressionou todos, não graças á sua velocidade mas á maneira como fazia curvas, porque toda a gente sabe que os rally não é só andar em frente! De facto foi algo notável

    Obrigado por comentar

    ResponderEliminar
  3. Um mini cooper s com 175.000 esta prestes a morrer ou faz outros tantos?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Mauro
      Depende de como tenha sido tratado até á data.

      Eliminar
    2. Tenho duas escolhas.. O mini cooper s com 175.000 km de 2003 e o mini cooper one com 114.000 km de 2004... Ambos pelo mesmo valor...

      Eliminar
  4. Tenho duas escolhas.. O mini cooper s com 175.000 km de 2003 e o mini cooper one com 114.000 km de 2004... Ambos pelo mesmo valor...

    ResponderEliminar

Obrigado por comentar. O seu comentário é muito útil e importante para que este blog seja actualizado. Porém existe algumas coisas que devem ser bem claras para os comentários:

-Não use palavras de baixo calão
-Os comentários são moderados, portanto seja educado com os comentários.
-Comentários com perguntas serão respondidas nos comentários no blog.
- Por favor não plagie, caso precise de retirar informação deste blog, não se esqueça de colocar a fonte.